quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Instituto Moreira Salles





Esta aquarela foi o resultado de uma tarde agradável no Instituto Moreira Salles (Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, Rio de Janeiro). Um lugar tranqüilo e muito gostoso para desenhar. Depois que conheci o Cárcamo venho tentando explorar a transição de cores na própria folha de papel e ousando mais nas cores e contrastes (obrigado mestre, eu tento). É claro que não esqueço nunca meu aquarelista favorito, John Singer Sargent. Ele sempre acaba impregnando tudo que vejo.
A casa, construída nos anos 40, foi projetada pelo arquiteto Olavo Redig de Campos e os jardins e murais em azulejos são assinados por Roberto Burle Marx, apenas. A casa realmente impressiona, é um belíssimo exemplo da arquitetura moderna. Hoje em dia a casa foi alterada para abrigar exposições, sessões de cinema e um café. Nesta última visita encontrei diversos panoramas (do Rio, Recife, Salvador e outras cidades) feitos por viajantes. Pude ver as máquinas fotográficas antigas utilizadas por Pierre Verger, observei as matrizes de pedra para imprimir as litografias dos panoramas da cidade. Havia também uma sala cilíndrica onde os panoramas eram projetados em quase 360graus. Descobri que, antes da invenção do cinema, existiam na Europa construções cilíndricas (algumas com cerca de 10 metros de altura e 100 de circunferência) para a exibição de panoramas de cidades como Rio de Janeiro, Recife e Salvador; e isso atraia milhares de pessoas.

2 comentários:

Cristina Jacó disse...

Oi Rafa, muito obrigada pela visita no meu blog. Também gostei muito deste seu trabalho. Acho muito difícil desenhar com o desconforto do sol, do vento, das distrações ao ar livre. Você se saiu muito bem.
Abraços e sucesso!

Rafael/Petter disse...

Você teve uma interpretação de cores em um objeto branco. Como se deu isso?